Pragas e doenças do Arroz

Pragas e doenças do Arroz

O arroz, durante todo seu ciclo, é afetado por doenças que reduzem a produtividade e a qualidade dos grãos. A incidência e a severidade das doenças dependem da ocorrência de patógeno virulento, de ambiente favorável e da suscetibilidade da cultivar. Mais de 80 doenças causadas por patógenos, incluindo fungos, bactérias, vírus e nematóides, foram registradas na literatura, em diferentes países. O manejo integrado dessas doenças requer um conjunto de medidas preventivas, cujos componentes são a resistência genética da cultivar, as práticas culturais e o controle químico, tendo por objetivo o aumento da quantidade e da qualidade do produto através da redução da população do patógeno a níveis toleráveis. Neste item, são apresentadas as principais doenças de importância econômica no Brasil, bem como seu controle, nos diferentes ecossistemas onde se cultiva arroz no País. As principais doenças em arroz de terras altas e irrigado são: brusone, manchas de grãos e a escaldadura, recentemente tem-se constatado alta incidência de queima de bainha em arroz irrigado no Estado do Tocantins.

Pragas do arroz
Cupins rizófagos
Cigarrinha das pastagens
Pulgão da raíz
Broca do colo
Lagarta militar
Curuquerê dos capinzais
Lagarta dos cereais
Broca-do-colmo
Cascudo preto/ bicho bolo
Gorgulho aquático/ bicheira da raíz
Percevejo do colmo
Pecevejos das panículas

Doenças do arroz
Brusone
Mancha de grãos
Escaldadura
Queima da bainha